quinta-feira, 26 de abril de 2018

Como prevenir a perda de massa magra, que acelera o envelhecimento

Os mais jovens podem achar que ainda pode levar anos até que o corpo comece a dar sinais de cansaço e envelhecimento, mas não é bem assim. 
Quem já está perto dos 30 anos de idade consegue reconhecer que a força e a performance dos músculos não são as mesmas de uma década atrás. Parte disso se deve à sarcopenia, resultado do sedentarismo.
A perda da massa magra, que se traduz em redução na força e na performance dos músculos, é chamada nos consultórios médicos de sarcopenia. 
Condição mais comum entre os mais velhos. No entanto, pessoas cada vez mais jovens têm dados sinais de sarcopenia, principalmente relacionado aos hábitos de vida.
“A sarcopenia tem como causa mais importante o sedentarismo, a falta de exercícios físicos regulares. 
Como a população está cada vez mais sedentária, e cada vez mais cedo, a perda de massa muscular começa mais precocemente também, por consequência”, explica Marcelo Leitão, médico cardiologista, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte.
Reflexo dessa condição sedentária cada vez mais cedo, até mesmo em crianças, se dá através do diagnóstico de outras doenças. Leitão pontua o caso da diabetes tipo 2. 
Embora o tipo mais comum da doença em crianças e adolescentes seja a diabetes tipo 1, doença autoimune que diminui ou cessa a produção da insulina no organismo, não é raro encontrarmos hoje jovens com a diabetes tipo 2 – relacionada, principalmente, a um estilo de vida sedentário e alimentação desregulada.
“Aprendíamos na faculdade que o diabetes tipo 1 era o juvenil e o tipo 2 era chamado de senil, porque só acontecia quase exclusivamente em idosos. 
Agora, o estilo de vida diferente, trouxe a doença para mais cedo também”, reforça.
Estou com sarcopenia?
O diagnóstico da sarcopenia é feito através de exames de imagem que verificam a densidade mineral óssea da pessoa. É feito um escaneamento completo do corpo, determinando a perda de massa magra. 
A confirmação se dá através de exames clínicos e de performance, como se levantar sozinho e caminhar, marcha, ida e volta, entre outros, de forma a verificar a mobilidade.
Embora sejam exames feitos principalmente entre os idosos, jovens sedentários também podem ter sinais semelhantes, que indicariam uma sarcopenia precoce.
Faça exercícios físicos
Mesmo quem já tem o diagnóstico da sarcopenia, desde que num grau leve, consegue reduzir os sintomas ou mesmo reverter a condição com um tratamento simples: exercícios físicos regulares.
Aproveite os parques e pistas de caminhada e corrida da cidade, e comece devagar. Se preferir, inscreva-se em uma academia e monte uma programação com as aulas que você mais gostar. 
O importante é se mexer, não importa bem onde ou como, mas com frequência.
Mescle também exercícios aeróbicos, como corridas e spinning, com os exercícios resistidos, ou de força, como os funcionais ou a musculação tradicional.
Dieta e suplementação
A alimentação também é parte fundamental para evitar a sarcopenia. Reforce alimentos com cálcio, sódio e potássio, nutrientes que atuam na função e contração muscular. Também adote mais proteínas e aminoácidos, que atuarão na formação muscular.
Quando indicado por um médico ou especialista, é possível fazer uso de suplementos alimentares, de forma a prevenir a sarcopenia. A suplementação é indicada, porém, somente se a alimentação não fizer a reposição adequada dos nutrientes.
Idade de alerta
Geralmente, a sarcopenia tende a aparecer nas mulheres a partir da menopausa, depois dos 50 anos. Entre os homens, a condição surge mais tarde, aos 70, quando ocorre uma redução maior dos hormônios masculinos.
Créditos: Texto - Funcionais Nutraceuticos

segunda-feira, 23 de abril de 2018

O gato e a espiritualidade - Loretta Hausman

Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não topa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. 

Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência. Se o gesto de carinho é medroso ou substitui inaceitáveis (mas existentes) impulsos secretos de agressão, o gato sabe. E se defende do afago.

A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso, quando surge nele um ato de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é algo muito verdadeiro, que não pode ser desdenhado. 

É um gesto de confiança que honra quem o recebe, pois significa um julgamento.

O homem não sabe ver o gato, mas o gato sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, o gato sente. Se há solidão, ele sabe e atenua como pode, ele que enfrenta a própria solidão de maneira muito mais valente que nós.

Nada diz, não reclama. Afasta-se. Quem não o sabe "ler" pensa que "ele" não está ali. Presente ou ausente, ele ensina e manifesta algo. Perto ou longe, olhando ou fingindo não ver, ele está comunicando códigos que nem sempre (ou quase nunca) sabemos traduzir.

O gato vê mais e vê dentro e além de nós. Relaciona-se com fluidos, auras, fantasmas amigos e opressores. O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente ao nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério.

O gato é um monge silencioso, meditativo e sábio monge, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho nessa busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado.

O gato sempre responde com uma nova questão, remetendo-nos à pesquisa permanente do real, à busca incessante, à certeza de que cada segundo contém a possibilidade de criatividade e de novas inter-relações, infinitas, entre as coisas. 

O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção. Desatentos não agradam os gatos. Bulhosos os irritam. Tudo o que precise de promoção, ou explicação, quer afirmação. Vive do verdadeiro e não se ilude com aparências.

Ninguém em toda Natureza aprendeu a bastar-se (até na higiene) a si mesmo como o gato! Lição de sono e de musculação, o gato nos ensina todas as posições de respiração ioga. Ensina a dormir com entrega total e diluição recuperante no Cosmos. 

Ensina a espreguiçar-se com a massagem mais completa em todos os músculos, preparando-os para a ação imediata. Se os preparadores físicos aprendessem o aquecimento do gato, os jogadores reservas não levariam tanto tempo (quase 15 minutos) se aquecendo para entrar em campo.

O gato sai do sono para o máximo de ação, tensão e elasticidade num segundo. Conhece o desempenho preciso e milimétrico de cada parte do seu corpo, a qual ama e preserva como a um templo. Lição de saúde sexual e sensualidade. Lição de envolvimento amoroso com dedicação integral de vários dias. 

Lição de organização familiar e de definição de espaço próprio e território pessoal. Lição de anatomia, equilíbrio, desempenho muscular. Lição de salto. Lição de silêncio. Lição de descanso. Lição de introversão. 

Lição de contato com o mistério, com o escuro, com a sombra. Lição de religiosidade sem ícones. Lição de alimentação e requinte. Lição de bom gosto e senso de oportunidade. 

Lição de vida, enfim, a mais completa, diária, silenciosa, educada, sem cobranças, sem veemências, sem exigências. O gato é uma chance de interiorização e sabedoria, posta pelo mistério à disposição do homem.

O gato é um animal que tem muito quartzo na glândula pineal, é portanto um transmutador de energia e um animal útil para cura, pois capta a energia ruim do ambiente e transforma em energia boa, sendo que, normalmente onde o gato deita com frequência, significa que não tem boa energia. 

Assim, caso o animal comece a deitar em alguma parte de nosso corpo de forma insistente, é sinal de que aquele órgão, ou membro, está doente ou prestes a adoecer, pois o bicho já percebeu a energia ruim no referido órgão e então ele escolhe deitar nesta parte do corpo para limpar a energia ruim que tem ali. 

Ela ainda observa que do mesmo jeito que o gato deita em determinado lugar, ele sai de repente, pois ele sente que já limpou a energia do local e não precisa mais dele. Ela ainda diz na palestra, que o amor do gato pelo dono é de desapego, pois enquanto precisa ele está por perto, quando não, ele se a afasta.

No Egito dos faraós, o gato era adorado na figura da deusa Bastet, representada comumente com corpo de mulher e cabeça de gata. Esta bela deusa era o símbolo da luz, do calor e da energia. 

Era também o símbolo da lua, e acreditava-se que tinha o poder de fertilizar a terra e os homens, curar doenças e conduzir as almas dos mortos. Nesta época, os gatos eram considerados guardiões do outro mundo, e eram comuns em muitos amuletos.

"O gato imortal existe, em algum mundo intermediário entre a vida e a morte, observando e esperando, passivo até o momento em que o espírito humano se torne livre. Então, e somente então, ele irá liderar a alma até seu repouso final."

Créditos: Via: Claudio Oddone / The Mythology Of Cats, Gerald & Loretta Hausman  

segunda-feira, 16 de abril de 2018

A técnica do perdão

Por dr. Joseph Murphy

Vou expor agora um método simples que, se você o praticar, vai operar maravilhas em sua vida. É o seguinte :
Acalme sua mente, relaxe-se, abandone-se. Pense em Deus e em Seu amor por você e depois afirme :

“Perdôo espontânea e integralmente (mencione o nome do seu ofensor), eximindo-o mental e espiritualmente.
Perdôo inteiramente tudo o que esteja ligado ao assunto em questão. Estou livre e ele/ela está livre também. É um sentimento maravilhoso. Hoje é o meu dia de anistia geral. Eximo cada um e todos que me feriram e lhes desejo saúde, felicidade, paz e todas as bênçãos da vida. 

Assim faço espontaneamente, com alegria e amor, e sempre que pensar nas pessoas que me feriram hei de dizer que as eximo de qualquer culpa e que todas as bênçãos da vida lhes pertencem.
Estou livre e vocês estão livres também. É realmente maravilhoso!"

O grande segredo do verdadeiro perdão é, uma vez perdoada a pessoa, você não precisará mais repetir a oração. Sempre que a pessoa vier à sua mente ou o ferimento por acaso voltar ao seu pensamento, deseje o bem ao ofensor e diga: "Que a paz esteja contigo!" 

Faça isso com frequência, todas as vezes que o pensamento passar por sua mente. Você verá que, em poucos dias, o pensamento da pessoa ou da experiência voltará com uma frequência cada vez menor, até desaparecer completamente.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Dicas para reduzir inchaço nos olhos

Evite ingerir álcool e sal.
Tenha uma boa noite de sono.
Não aplique hidratante ao redor dos olhos na hora de dormir. Melhor usar um
hidratante para os olhos em gel, que ajudará a enrijecer a região e, portanto, reduzirá o inchaço.

Encha a pia com cubos de gelo e água fria, depois molhe o rosto por 30 segundos ou o máximo que você conseguir aguentar.

Coloque saquinhos de chá gelado ou pepinos fatiados sobre os olhos.
Faça um suco de pepino. Coloque algumas gotas deste suco nos olhos, é um ótimo tratamento para esfriar e suavizá-los. Guarde o que sobrar na geladeira por no máximo 10 dias.

Para olhos inchados e vermelhos: faça uma compressa úmida com 4 colheres de sopa de batata crua recém-ralada. Coloque sobre os olhos por 15 minutos e depois remova com água fria.

Para reduzir o inchaço, e para as bolsas sob os olhos, faça um chá forte de rosa mosqueta. Embeba dois chumaços de algodão no chá ou use 2 saquinhos de chá, deite-se e coloque sobre os olhos.

Para inchaço dos olhos, use qualquer saquinho de chá (os de ervas são melhores, principalmente de *Eufrásia), ligeiramente resfriado, colocado nos olhos enquanto você descansa.

Hidratante e suavizante para os olhos à base de pepino e iogurte
Ingredientes:
1/2 xícara de pepino, descascado e picado
 1/4 de xícara de iogurte natural
1 ovo
1 toalha morna

Modo de preparo: misture todos os ingredientes até obter uma mistura homogênea, e aplique-a sobre os olhos fechados. Certifique-se de cobrir toda a região ao redor dos olhos. Coloque a toalha morna sobre os olhos por 20 minutos. Lave bem o rosto com água morna. 

Esta mistura ajudará a aliviar o inchaço e também a hidratar os olhos. Faça a mistura na hora, toda vez que for usar.

*Chá de eufrásia “erva da visão”: elimina as infecções oculares, como conjuntivite, terçóis e desordens com lacrimejamento. Reduz a inflamação dos olhos cansados, que são submetidos ao esforço diário.

Créditos: Tracie Johansen – Natural & Bela

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Jabuticaba ajuda a rejuvenescer

Todo mundo sabe o quanto é importante consumir frutas frescas diariamente. Entre os frutos encontrados na natureza a jabuticaba pode se tornar uma poderosa aliada à saúde do organismo, para uma boa nutrição e até mesmo na prevenção de doenças. 

Fruta típica da Mata Atlântica, a jabuticaba cresce grudada aos troncos e ramos da árvore conhecida popularmente como jabuticabeira. Possui vitaminas do complexo B e também vitamina C. Cada 100 gramas de jabuticaba apresenta, aproximadamente, 58 calorias. Portanto, é uma fruta pouco calórica. 

As frutas atingem a fase madura durante a primavera. É muito utilizada na culinária e na fabricação de doces, sucos, geleias, licores, vinho entre outros. 

Por ser uma fruta rica em sais minerais como o cálcio, fósforo e ferro, a jabuticaba possui potente ação antioxidante (graças às antocianinas), ou seja, ajudam a eliminar do organismo moléculas instáveis de radicais livres, substâncias responsáveis pelo envelhecimento precoce das células e pelo estresse, por exemplo. 

A maior concentração das antocianinas está na casca da fruta. Para consumo das cascas, uma boa opção é bater no liquidificador e ingerir sobe forma de suco. Podem-se adicionar outras frutas como o abacaxi, para deixar o suco mais saboroso. 

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), comprovou a eficácia da jabuticaba na prevenção e tratamento de enfermidades, entre elas o câncer de próstata e a leucemia. De acordo com os estudos, os compostos presentes na casca da fruta reduzem em até 50% a produção de células cancerígenas no organismo.

Créditos: Revista Mercado, Emptresas & CIA

sábado, 7 de abril de 2018

Hoje


terça-feira, 3 de abril de 2018

Seus cabelos estão caindo? Saiba quando você deve se preocupar

Para algumas pessoas, pode ser angustiante ver seu cabelo cair. Mas nem todos esses casos são prenúncios de calvície iminente ou de alguma doença. Na verdade, estima-se que todos os dias perdemos de 50 a 100 fios de cabelo - o que é absolutamente normal.
"É algo fisiológico. No couro cabeludo, há cabelos em diferentes estágios: alguns estão crescendo, outros estabilizados e outros devem cair" explica o dermatologista do Hospital Universitário de Navarra Leyre Aguado.
Em muitos casos, a perda de cabelo é uma reação ao momento do ano em que estamos e um lembrete do nosso passado.
"Depende da parte animal que ainda conservamos, o que nós dermatologistas chamamos de estigma filogenético. Em todos os mamíferos, exceto os seres humanos, existe o que chamamos de movimentos sincronizados anuais", disse à BBC Mundo Ramon Grimalt, professor de dermatologia na Universidade Internacional da Catalunha.
"Se você tem um cão ou um gato, um cervo ou um urso, você vai ver que a cada primavera estes mamíferos perdem, de forma sincronizada, todos os seus pelos para passar o verão fresco. 

E, de outubro a novembro, sem tomar qualquer suplemento ou pílula ou sem colocar uma loção, eles recuperam seus pelos novamente. "
Mas, ao contrário dos animais, as pessoas não precisam de seus cabelos para regular a temperatura corporal. Assim, esta sincronização é desnecessária e a maioria tem uma mudança diária de cerca de 50 a 100 cabelos.

O cabelo cai e se renova diariamente. O doutor Grimalt chama o processo de substituição.
"Mantemos essa tendência de agrupar essas substituições. Para a maioria de nós, não caem exatamente 100 fios por dia, mas passamos por épocas que caem apenas 50, 60, 70 e outras em que são descartados 150 ou 200 por dia. 

E estas épocas muitas vezes coincide com o fim do verão e início do outono", diz o especialista.
E, como acontece com os mamíferos, os cabelos perdidos se recuperam.
Quando devemos nos preocupar?
Grimalt tem um método infalível: "O que deve nos preocupar realmente é nossa imagem, não nossas escovas".
A escova cheia de cabelos tornou-se um sinal de alerta para muitas mulheres.
Mas, como explica o médico, vamos fazer uma pausa para pensar em uma coisa: se as mulheres geralmente o cabelo muito mais longo do que os homens, 100 cabelos desprendidos ocupam um volume maior se comparado a 100 cabelos que vão cair de um homem com cabelo curto.
"A substituição sazonal é idêntica em homens e mulheres. Se eu usar o corte de cabelo de um ou dois centímetros de distância da cabeça, 100 cabelos cairão todos os dias e eu praticamente não os verei porque eles não ficarão presos no pente ou escova, nem entopir o chuveiro ", diz o médico.

"Ninguém deve se preocupar com o volume de cabelo que cai. Você tem que se preocupar com sua imagem," diz o médico.
Comparar uma foto do ano passado com uma atual é um bom método para detectar se há "clareiras" na cabeça. Você vê menos pêlos? Esse é um sinal.
Se isso ocorrer é importante consultar um médico para determinar o que está acontecendo.
"É um absurdo ir a um cabeleireiro ou uma farmácia para comprar algo para frear a queda de cabelo", diz o médico. Essa não é a solução. Exames médicos encontrarão a verdadeira origem do problema.
O sinal de alerta não deve ser o número de cabelos que caem, mas se a densidade de cabelo que vemos no couro cabeludo. Verificar se eles têm diminuído e olhar áreas mais vazias na cabeça.
O paradoxo da calvície
Embora pareça impossível acreditar, Grimalt explica que os homens não se tornam calvos devido à queda de seus cabelos.
"Sua raiz doente deixa de trabalhar e provoca uma situação que os médicos chamam de miniaturização, ou seja, ela fabrica um cabelo cada vez mais fino e, no final, é tão fino que desaparece."

"As doenças que causam a calvície, na maioria dos casos, não estão associadas a um aumento do volume de substituições, mas devido a uma doença na raiz".
Assim, de acordo com o professor da Universidade Internacional da Catalunha, a mensagem vai na direção oposta:
"Se meus cabelos se substituem, estou saudável. Se eles caem é um bom sinal: o novo cabelo novo que está debaixo está nascendo para que caia o velho".
Fatores
Vários fatores explicam a queda de cabelo, como o processo de envelhecimento, genética, a perda e o ganho constante de peso e desequilíbrios hormonais.
Em muitos casos, você pode tentar uma solução temporária. Mas, de acordo com a publicação Harvard Health, revista da Escola de Medicina da Universidade de Harvard, a perda de cabelo ocorre por diferentes razões:
Eflúvio telógeno agudo
"Esta forma comum de perda de cabelo acontece dois ou três meses depois de uma situação em que o corpo passa por estresse intenso, como uma doença prolongada, uma grande cirurgia ou uma grave infecção. 

Isso também acontece depois de uma súbita mudança nos níveis hormonais, especialmente após o parto. Quantidades moderadas de queda do cabelo caem de toda a extensão do couro cabeludo e pode ser evidenciada no travesseiro, no chuveiro ou pente ".


Efeitos colaterais por consumo de drogas
"A perda de cabelo pode ser um efeito colateral de certos medicamentos que contenham lítio, betabloqueadores, varfarina, heparina, anfetaminas e levodopa", assim como também por causa das drogas usadas em tratamentos contra o câncer, como a quimioterapia.

Calvície hereditária
É muito comum entre os homens e pode ocorrer em qualquer momento de suas vidas, mesmo durante a adolescência. "É geralmente causada pela interação de três fatores: tendência hereditária para a calvície, hormônios masculinos e aumento da idade." 

As mulheres não estão isentas. Com a idade, muitas delas podem desenvolver algum grau de calvície.

Sintoma de uma doença
A perda de cabelo pode responder a doenças como o lúpus, a sífilis ou uma doença da tireóide, como hipotireoidismo ou hipertireoidismo. Ela também pode ser um sintoma de falta de proteína, ferro, zinco ou biotina.

Infecção por fungos
"Esta forma de perda de cabelo acontece quando certos tipos de fungos infectam o couro cabeludo." Isto faz com que o cabelo quebre na superfície do couro cabeludo e que se desprenda em escamas.

Alopecia areata
"Esta é uma doença auto-imune que faz com que o cabelo caia em uma ou mais pequenas áreas. A causa desta condição é desconhecida, embora seja mais comum em pessoas que sofrem doenças auto-imunes. 

Quando o mesmo processo provoca perda total dos cabelos, ele é conhecido como alopecia total ".

Alopecia traumática
Está associada a técnicas agressivas de cabeleireiros, nas quais o couro cabeludo é submetido a puxões, calor extremo ou produtos químicos fortes.

Créditos: BBC Brasil